Perguntas e Respostas: O que as mulheres querem saber de sua ginecologista sobre a TPM? – Clinica Mariana Eloy – CLIMAE | Candeias, BA.

Perguntas e Respostas: O que as mulheres querem saber de sua ginecologista sobre a TPM?

Três coisas que você precisa saber sobe a primeira Consulta Ginecológica! CLIMAE – CANDEIAS – BA
15 de janeiro de 2016
Miomas: tudo que a mulher precisa saber.
18 de fevereiro de 2016

Uma grande parte das mulheres manifestam sintomas físicos e psicológicos que causam desconforto e alteram seu humor. Geralmente essa sintomatologia ocorre uma vez por mês, normalmente a partir de 10 dia antes da menstruação. Esse é o fenômeno conhecido como TPM, a tensão pré-menstrual, e é, atualmente, um dos temas que provocam mais dúvidas entre mulheres de todas as idades, sendo muito comum as seguintes perguntas durante uma consulta ginecológica:

O que é a TPM?

A TPM é uma síndrome que atinge aproximadamente 80% da população feminina mundial, caracterizando-se pelo conjunto de sintomas que normalmente desaparecem no primeiro dia do fluxo menstrual regular, podendo durar até o fim deste, em algumas mulheres.
A causa da TPM é atribuída à alteração hormonal que ocorre nos organismos femininos durante o período menstrual, provocando alterações no sistema nervoso central, e na distribuição das endorfinas (substâncias bioquímicas que proporcionam a sensação de prazer) e de neurotransmissores como a serotonina.

Todas as mulheres sentem os mesmos sintomas durante a TPM?

Não, nem todas as mulheres compartilham o mesmo tipo de TPM, o que ocasiona diferença de sintomas entre elas. Na realidade, são tantos sintomas diferentes que a medicina computou 5 tipos diferentes de TPM, que podem, inclusive, ocorrer ao mesmo tempo.

Quais são esses tipos e seus respectivos sintomas?

TPM A

Esse tipo de TPM se relaciona com a queda do hormônio responsável pelo controle do estresse, o estrogênio, além de aumento na liberação de adrenalina e cortisol, elementos endócrinos que contribuem para o estresse, provocando ansiedade. Os sintomas relacionados com esse tipo são:

  • Insônia ou dificuldade para dormir;
  • Estresse;
  • Ansiedade;
  • Alterações no Humor;
  • Irritabilidade.

TPM C

Durante a TPM, você pode sentir sua fome aumentar e seu apetite pedir alimentos mais doces ou gordurosos, isso se deve à compulsão alimentar associada com esse tipo de TPM, onde seu organismo pede estimulo nas áreas do cérebro que provocam sensação de prazer. Seus principais sintomas são:

  • Dores de Cabeça;
  • Compulsão por doces ou salgados;
  • Vontade de comer guloseimas ou comidas diferente.

TPM D

Esse tipo de TPM está associado à redução da serotonina, importante neurotransmissor que regula o sono, a fome e o humor, entre outros. Além disso, pode resultar da reação do organismo à instabilidade hormonal do período. A paciente pode se sentir deprimida, e os principais sintomas são:

  • Baixa autoestima;
  • Pouca concentração;
  • Raiva sem motivo;
  • Sentimentos ruins;
  • Lapsos de memória;
  • Sentimentos violentos.

TPM H

Algumas vezes, durante a TPM, o organismo tem predisposição à retenção de líquidos, sintoma relativo à TPM do tipo H. Seus sintomas também são:

  • Inchaço abdominal;
  • Inchaço nas extremidades, como pés e mãos;
  • Ganho de peso (devido à retenção de líquidos);
  • Sensibilidade e inchaço em mamas.

TPM O

Alguns sintomas são menos comuns entre as pacientes, mas também podem estar relacionados à tensão pré-menstrual. Os especialistas atribuíram esses sintomas ao tipo O, e esses são:

  • Acne;
  • Reações alérgicas;
  • Náuseas;
  • Suor frio;
  • Cólicas;
  • Infecções respiratórias;
  • Alteração no ciclo intestinal;
  • Alteração no ciclo urinário.

Algumas mulheres tem mais predisposição à TPM do que outras?

Sim. Existem fatores, como o histórico familiar de TPM, o sedentarismo, problemas de saúde mental, como a depressão, estresse, idade, dieta deficiente em cálcio, magnésio ou vitamina C e grande consumo de cafeína que representam fatores de risco para a ocorrência da TPM.

Como pode ser diagnosticada a TPM?

Infelizmente, não existem exames que possam denunciar a ocorrência da síndrome, mas, baseado no histórico e em relatos da paciente, um especialista em ginecologia ou endocrinologia pode diagnosticar o fenômeno. Para facilitar o trabalho da(o) profissional, é recomendado levar o histórico médico, anotações sobre os sintomas e, se possível, um acompanhante. Várias perguntas surgirão por parte do médico, como hábitos, intensidade dos sintomas, etc. Esse também pode ser o melhor momento para sanar suas dúvidas.

Existe tratamento para a TPM?

Não existe um tratamento específico para a síndrome, já que varia muito de mulher para mulher, o que pode ocorrer é o combate aos sintomas, variando entre os tipos de TPM. Para a TPM de tipo A, por exemplo, recomenda-se a prática de exercícios físicos e a adoção de uma dieta adequada, contra o Tipo C, além da adequação alimentar e da prática regular de atividades físicas, recomenda-se o consumo de OMEGA 3 e óleo de prímula, que podem reduzir a compulsão alimentar. Em casos mais severos, o profissional de saúde pode receitar alguns remédios específicos para o combate de certos sintomas, além de estratégias, mas efetivas. Algumas mulheres podem preferir o uso de anticoncepcionais, para evitar os sintomas da TPM, mas essa é uma medida que pode acabar saindo pela culatra, já que o aumento da taxa de hormônios pode provocar agravamento dos sintomas. Por isso, é sempre necessário o acompanhamento médico.

É possível conviver com a TPM?

Sim, claro. É possível gerenciar os sintomas e conviver normalmente com a TPM. Recomenda-se o estabelecimento de um diário menstrual, registrando os sintomas, sua intensidade e as datas de menstruação e ovulação. Também é recomendada a adição e hábitos saudáveis, tanto alimentares quanto esportivos. A dor pode ser reduzida com a administração de medicamente recomendados pelo profissional de saúde.